criatividade

5 Ações para desbloquear a criatividade

Antes disso...

Quero explicar mais duas coisas muito importantes. Quando falamos de criatividade, essas ações são de grandessíssima relevância, por isso deixei como introdução as 5 ações criativas. Uma é a observação e a outra, a incubação.

Observ-Ação

Pense fora da caixa, pense fora da caixa, pense fora da caixa. Como vamos pensar fora da caixa se precisamos do que está na caixa para criar? 

Digamos que a caixa é onde guardamos o nosso repertório, nossas experiências, nossa genética e a nossa forma de observar o mundo. E Ninguém pode tirar isto de nós. 

Podemos pensar dentro da caixa, porém precisamos deixar ela aberta. Afinal, precisamos de tudo que tem nela para sermos criativos.

observacao

As ideias não nascem do nada. Sempre são conexões do nosso repertório que estão guardadas na cabeça. Aliás, quanto mais repertório mais fácil é a criação de novas ideias. Por isso é tão importante ser observador, para armazenar mais informações e ter mais referências na hora do processo criativo. Abra sua caixa, traga coisas novas, decore ela por dentro e veja tudo que está acontecendo lá fora, isso vai ser incrível. Quanto mais variados os objetos da sua caixa, maior será a inovação. 

Quebre sua rotina para encontrar mais inspiração e ter estímulos diferenciados. Vá por um caminho diferente para o trabalho, caminhe pela sua vizinhança e preste atenção nos detalhes que estão ao nosso redor. Assim podemos extrair melhores aprendizados de cada minúsculo momento. 

A pessoa criativa é aquela que enxerga o que ninguém vê. Mas não só em momentos de criação, em todos os momentos da vida. Elas não vivem no piloto automático como a grande maioria. Você sabe quem é o melhor piloto automático? O robô. Então use a sua capacidade crítica de enxergar o mundo para se diferenciar da máquina e das pessoas que enxergam mas não param para ver. O criativo é um crítico ativo 24 horas que não descansa nem quando dorme. E é isso que veremos no processo de incubação.

Incub-Ação

incubacao criativa

Já viu o processo de desenvolvimento de uma árvore? Nenhuma delas nasce grande. Começa com uma sementinha escondida na terra fértil até nascer uma plantinha frágil. Com os estímulos certos ela vai crescendo e tomando forma até virar uma árvore grande e forte. Assim são as nossas ideias, começam como uma intuição ou um problema e começam a receber enxertos no processo de incubação até se desenvolverem. 

Com a ideia incubada, podemos prestar atenção em outros detalhes sem esquecer o problema que temos que resolver. É a nossa capacidade de criar conexões entre os aprendizados mais antigos e os novos estímulos da vida. Acredito em dois processos de incubação: a incubação consciente e a incubação inconsciente.

Vamos continuar com uma frase de Robert Frost: "Máquina caprichosa é o cérebro humano. Ele começa a trabalhar quando a gente dorme e para de funcionar quando a gente trabalha." Em algumas atividades do nosso dia, parece que o nosso cérebro fica mais criativo, como ao dormir, dirigir, tomar banho, dar uma corrida etc. Isso acontece porque em determinados momentos estamos fazendo atividades rotineiras de forma automática (Não precisamos pensar muito pra tomar banho, geralmente seguimos um roteiro no piloto automático) então o nosso cérebro acaba aproveitando este tempo ocioso para pensar e combinar ideias. 

Um experimento recente conduzido pelo neurocientista alemão Ullrich Wagner demonstra o potencial de conexões do nosso cérebro em estado de repouso. Sujeitos experimentais receberam uma tarefa matemática entediante que envolvia a transformação repetitiva de oito dígitos num numero diferente. Com a prática, eles ficavam cada vez mais eficientes no desempenho da tarefa. Mas havia um padrão oculto no enigma de Wagner, uma regra que permitia aos sujeitos completar a tarefa muito mais depressa se descoberto. Esse experimento descobriu que, após uma exposição inicial ao teste numérico, "consultar o travesseiro" numa noite de sono mais do que dobrava a capacidade dos participantes de descobrir a regra oculta. As recombinações mentais do sono ajudam a explorar toda a gama de soluções para o enigma que tinham escapado no período inicial do treino. 

Assim funciona o processo de incubação inconsciente. Sem percebermos o nosso cérebro combina o nosso repertório para gerar novas soluções. Entendendo isto, temos que adquirir a maior quantidade de experiências e informações possíveis para o nosso cérebro ter matéria prima de qualidade na hora da combinação. 

Já a incubação consciente acontece de forma mais racional. O criativo incubado é aquela pessoa que tem uma pergunta na cabeça e começa a observar o mundo para encontrar uma resposta imediatamente. Nenhum estimulo deve ser descartado, temos que fazer uma conexão forçada entre o que encontramos e a questão que está incubada. Se nessa procura pela criatividade, uma conexão forçada entre dois mundos muito distantes fizer sentido, você terá encontrado o elo mais forte da inovação. 

Entenda que o processo criativo precisa de movimento e de estímulos. O que foi ensinado para nós de ficar parado rabiscando num caderno, eu acredito estar errado. Você só vai dar voltas em um labirinto cerebral. Tente uma vez, dar uma volta pela cidade ou abrir um banco de imagens no computador. Veja tudo e tente conectar tudo com a pergunta que está incubada na sua cabeça, mesmo que aparentemente não faça sentido. É como um processo de sonhar acordado. Ao contrário do que muitos pensam, os nossos sonhos não revelam uma verdade reprimida, o que ele faz é explorar e tentar encontrar através da experimentação novas combinações que acordado acharíamos que não fazem sentido. 

Enfim, As ideias mais importantes demoram um bom tempo para evoluir, ficam dormentes, hibernadas. As vezes uma boa ideia demora anos para amadurecer. Isso acontece porque as boas ideias normalmente surgem da colisão de 2 palpites menores, que formam portanto algo maior do que eles próprios. Seja de forma consciente ou inconsciente.

Agora
sim...

Estamos prontos! Depois deste experimento explicarei as 5 ações para desbloquear a criatividade.

Experimento criativo

Esse é o teste Bouba/Kiki. Foi usado por Steve Jobs no design da marca Apple.

Fazer teste

Dizem que 98% das pessoas respondem que a primeira figura é a Kiki e a segunda é a Bouba.

Isso porque a figura de Bouba tem um som mais arredondado e Kiki tem um som mais pontiagudo. O mesmo acontece se perguntarmos qual é mais amigável. Os cantos arredondados parecem mais amigáveis que as pontas da Kiki que podem machucar. 

Baseado nessas informações, Steve Jobs apostou forte em cantos arredondados no design de seus produtos e revolucionou o mercado.

Atualizar software criativo
Software Desatualizado
Teste bouba-kiki
Para você: Quem é Bouba e quem é Kiki?