Como ser mais Criativo

Vamos lá!

Assim como a zueira, a criatividade não tem limites. 
Vou te dar 5 ações para deixar a sua criatividade ilimitada!

1. Imaginação2. Combinação3. Transformação4. Interpretação5. Associação

É simples. Não tem muito o que fazer. Ou você imagina, ou você
combina, ou você associa, ou você interpreta, ou você transforma.

imaginacao criativa

Imaginação

Nós criamos e recriamos o mundo várias vezes ao dia através da imaginação. É o nosso diferencial como ser humano. Só nós podemos imaginar cenários. Só nós podemos testar na nossa cabeça infinitas possibilidades antes de colocá-las em prática. 

Imagine um rinoceronte de saia rosa. Pronto! Imagine um pinto sem bico. Somos incríveis não? Podemos tudo! Uhul!

Pra mim essa é a capacidade mais poderosa para criar. Imagine o seu problema em outros contextos, aplicado em outros lugares, misturado em outros formatos ou produzido em outro ramo de atividade. Aqui você vai ter que usar a sua própria criatividade para achar uma solução criativa através da sua imaginação. Geralmente começamos a imaginar com "E se................................". Essas 3 letrinhas são muito poderosas. Em segundos temos vários pensamentos criativos através delas. 

Agora, vou começar a dar exemplos. Você vai ver na prática como funciona todo meu processo criativo. Atenção: os exemplos podem ser zueiros, sem noção ou até bobos. Mas serão legais para vocês entenderem melhor.

Meu processo criativo na prática

Imagine que eu tenha que achar uma solução nova e criativa para o uso da TV.  

O processo começa com o simples ato de imaginar a TV sendo usada em outros contextos ou cenários. Na imaginação, a criatividade nasce de perguntas e não de respostas. O processo de imaginar acontece em todas as próximas ações, como se fosse um requisito básico para criar. 

Então vamos imaginar... E se a TV fosse colocada em outro lugar, algum lugar não convencional? E se eu colocasse na água? E se eu colocasse na parede? E se eu colocasse ela no meio da sala? E se eu produzisse com vidro? E se a tv ficasse na cozinha? E se a tv ficasse no chão? E se a tv ficasse no teto? Como seriam? 

E se eu colocasse na água? Imagine uma tv aquário, que quando desligada vira uma decoração pra casa. E se eu colocasse na parede? Imagine uma tv com moldura na parede, como se fosse um quadro ou uma obra de arte. Se ninguém estiver assistindo, podemos passar obras de artes digitais. E se eu colocasse ela no meio da sala? Imagine as pessoas poderem conversar uma de frente pra outra e olhar tv ao mesmo tempo, inovaríamos no design de interiores com o novo formato. E se eu produzisse com vidro? Imagine uma tv com transparência utilizada em apresentações onde o apresentador pode interagir com o conteúdo. E se a tv ficasse na cozinha? Poderíamos ter um Netflix Gourmet pra fazer o melhor prato. E se a tv ficasse no chão? Imagine uma tv holográfica onde o cenário se apresenta na sua frente em três dimensões. E se a tv ficasse no teto? Imagine sofás substituídos por camas e uma melhora considerável da nossa postura.

Podemos notar que através da imaginação tivemos alguns insights criativos, desde um Netflix Gourmet até uma tela holográfica colocada no chão. Isso em questão de minutos. Poderíamos claro, imaginar mais cenários, mais contextos ou diferentes formar de utilização. The imagination never ends.

Combinação

Eu, tu, ele, nós, vós, eles. Todos somos a combinação de duas pessoas. Nosso pai e nossa mãe. Somos nada mais nada menos do que combinações genéticas. 

A combinatividade, termo inventado pelo mestre Murilo Gun, é um processo simples parar gerar ideias e soluções criativas. Tudo no mundo, irritantemente tudo, é a combinação de duas ou mais coisas. As cores são combinações, os números se formam por combinações, as comidas são combinações e até as palavras que utilizamos são combinações de termos em latim. 

O mundo evolui através da combinação. Ou porque não, da reprodução de coisas diferentes. Então, deixemos as ideias fazerem sexo.

combinacao genetica

Olhando desta maneira, tudo fica bem mais fácil. Aquele peso do criador desaparece e podemos criar muitas coisas através da combinação, conexão, reprodução ou união de tudo que tem no universo. Como exercício, podemos fazer uma engenharia reversa de como algumas coisas foram criadas. A bazuca é a combinação de uma metralhadora com um canhão e todo esse conteúdo é a combinação de algumas teorias de outras pessoas e muitas ideias minhas. 

Por isso o processo de incubação e observação são tão importantes. Conforme observamos o mundo, vamos incubando novas informações que com o tempo se combinam até se tornarem algo maior que a soma de todas as partes. A ideia não é algo único. Mais parece um enxame.
Então eu me pergunto, será que aquele lance de "bloqueio criativo" existe? Talvez seja só um momento em que você está no volume morto das ideias, com referências escassas para combinar. Talvez a inspiração seja mais questão de piração. Leia muito, observe tudo, aprenda conteúdos variados e deixe o cérebro fazer as combinações inovadoras. 

Lembrando que o processo é simples como uma conta de adição. Só que quando lidamos com criatividade, um mais um pode virar três. Existe mais uma mágica nessa equação. Como tudo é combinação, temos que compartilhar o maior número de ideias possíveis com as pessoas para que elas se combinem entre si. E diferente do mundo linear, as ideias usam tecnologia exponencial. Como assim? Se eu tiver uma banana e você uma maça e nós fizermos uma troca, cada um ficará com uma fruta diferente. No campo das ideias, isso não acontece. Quando trocamos ideias, cada um fica, no mínimo, com duas ideias. Se elas se reproduzirem, teremos cada um três novas ideias. No próximo encontro, mesmo que elas não se reproduzam, cada um terá quatro ideias. De quatro para oito, de oito para dezesseis e de dezesseis para trinta e dois. Esta é a mágica da exponencialidade, filha dos possíveis adjacentes. 

Vamos aos exemplos.

Meu processo criativo na prática

Imagine que eu ainda precise revolucionar no mundo das TVs. 

O processo continua imaginativo e sempre tentando fazer conexões forçadas entre coisas aparentemente de mundo distantes. 

Bora combinar... Como seria uma tv combinada com postit? E se a tv fosse uma cortina? Qual seria a conexão entre uma tv e um porta retrato? Como seria uma tv com celular? 

Como seria uma tv combinada com postit? Imagine uma apresentação em vídeo onde cada parte do vídeo é independente e pode ser colada em formatos diferentes na parede. E se a tv fosse uma cortina? Imagine uma tecnologia capaz de decorar com belas paisagens o vidro da sua janela e ao mesmo tempo, bloquear a luminosidade. Qual seria a conexão entre uma tv e um porta retrato? Já existem tvs smarts com acesso a mídias sociais, talvez poderíamos ter porta retratos conectados com as fotos da timeline do seu facebook. Como seria uma tv com celular? Imagine um celular substituindo o controle remoto e mostrando informações adicionais do programa assistido.

É importante reforçar que as conexões devem ser forçadas e estimuladas. O nosso cérebro evita algumas conexões que previamente parecem não fazer sentido. Para ter ideias com grande potencial criativo temos que permitir que diferentes disciplinas façam empréstimos uma das outras.

transformacao criativa

Transformação

Nada no mundo se cria, tudo se combina ou se transforma. Se você pegar algum produto e não adicionar outra coisa ou transformar ele, será impossível a criação de algo novo. 

É o processo de alterar a forma de algo. Podemos limitar, dobrar, dividir, queimar, reagir quimicamente, aumentar, diminuir, quebrar, cortar um pedaço e fazer infinitas outras possibilidades para buscar outras perspectivas criativas através da transformação.

Muitas inovações surgiram quando tiraram um pedaço importante de um empreendimento e tiveram que achar novas soluções. Muitos pratos famosos forma inventados quando faltaram os ingredientes necessários e foram improvisados com o que tinha na cozinha. A transformação nos ajuda a imaginar como seriam as coisas com outros formatos, abrindo novas possibilidades de criação. 

Vou dar mais alguns exemplos.

Meu processo criativo na prática

Ainda preciso revolucionar a maneira como assistimos TV. 

O processo é tentar imaginar um produto transformado de diversas maneiras. Como em todo processo criativo, quanto mais quantidade, melhor.  

Vamos transformar... Como seria uma tv redonda? Como seria uma tv sem tela? E se o controle remoto não tivesse botão? Como seria uma tv sem controle? Como seria uma tv dobrável? 

Como seria uma tv redonda? Poderíamos transportar dentro de um pneu (as vezes temos ideias que nem mesmo fazem sentido, isso faz parte do processo. Já que pensamos em pneu, poderíamos combinar a tv com o carro e através de uma "tinta digital" escolhermos a cor do carro ou usá-lo como cardoor na divulgação de serviços e produtos). Como seria uma tv sem tela? Imagine um projetor portátil que projetasse a tv em qualquer espaço que você quiser. E se o controle remoto não tivesse botão? Imagine um controle touchscreen que você pode olhar o que está passando em outros canais sem mudar de canal. Como seria uma tv sem controle? Imagine a troca de canais por comando de voz. Como seria uma tv dobrável? Poderíamos levar para qualquer lugar com muito mais facilidade.

Lembrando que muitos insight podem não fazer sentido, mas temos que continuar e ter coragem como explicado no pense devagar e no tenha coragem. Talvez abrimos um possível adjacente no mundo das ideias e estamos a pequenos passos de distância de uma ideia relevante.

Interpretação

Eaí, beleza? As vezes quando eu encontro alguém e pergunto isso, vem uma resposta engraçadinha. "Beleza nem tanto, mais simpatia." 

Essa é uma resposta criativa. É um olhar do que está nas entrelinhas que resulta em uma resposta inesperada pra quem pergunta. Interpretar é enxergar os significados que estão implícitos, que não são tão óbvios.

interpretacao da criatividade

Muitas campanhas publicitárias, shows de humor e pessoas rotuladas como criativas utilizam esse processo. Você se sente surpreendido quando isso acontece. Puts! Como nunca pensei nisso? 

Interpretar algo diferente é buscar o que está no sentido figurado, não literal. Muitas vezes, utilizadas como analogias ou metáforas do nosso dia-a-dia. Por exemplo, podemos dizer que as ideias são como o fogo. Nesta metáfora, podemos ter várias interpretações, criativas ou não. Podemos entender que as ideias são como o fogo porque se espalham livremente e se expandem sem reduzir a sua intensidade em nenhum ponto ou porque fazem sair fumaça de nossa cabeça. 

Você pode parar, pensar e interpretar as coisas de diferentes formas: interpretando a combinação que foi utilizada, interpretando outros significados ou interpretando errado. 

Vamos lá. Você pode interpretar a combinação das palavras, como eu interpretei a inspiração com piração e dei uma visão diferente pro assunto. Pode também interpretar um significado diferente, como no "Eai beleza?", neste caso a palavra beleza foi utilizada com outro significado do que o esperado por quem fez a pergunta. Ou também pode interpretar errado. Eu, particularmente, utilizo muito esse processo para ter novas ideias. Procuro outras ideias e deixo a minha cabeça interpretar naturalmente. As vezes achamos que uma ideia é muito genial mas na verdade ela nem funciona da maneira como você interpretou. Ou seja, combinamos ela com outra coisa e criamos algo novo além da ideia original. 

Teoria sem prática é que nem ir com fome em um restaurante e ficar somente no menu. Então, vamos aos exemplos.

Meu processo criativo na prática

Continuo tentando ser criativo no ramo das TVs. 

Desta vez vou ser mais prático. O processo é interpretar diferente tudo que seja conectado a este assunto. Para ajudar, podemos usar o processo de associação que explicarei na próxima ação. 

TV, tela, plasma, led, tela plana, controle remoto, globo, canal e assim por diante. 

Tela plana? E se a tela fosse plana mesmo, na horizontal? Imagine uma tela resistente em formato de mesa que serve para jogarmos jogos digitais em equipe. Seria a inovação dos jogos de tabuleiro. Ao invés de comprar vários jogos físicos poderíamos fazer o download grátis ou comprar apps por um preço mais acessível.

Outro exemplo, quando eu enxergo uma TV (dessas novas) eu enxergo um mini outdoor digital. 

Imagine a marca que tem a maior TV do mercado divulgando um outdoor desta maneira? 

Interpretação criativa é olhar pra onde ninguém está olhando e entender o que ninguém percebeu.

panasonic

Os memes que bombam na internet são criativos por causa da interpretação.

sonic

Aqui a observação é muito importante, só poderemos interpretar de maneira criativa se prestarmos atenção nos detalhes. Como se déssemos um zoom no assunto em questão. O legal é que cada pessoa tem seu próprio repertório, então duas pessoas podem ter interpretações diferentes da mesma coisa.

puzzle criativo

Associação

Poucas ações são tão comumente relacionadas a criatividade quanto a associação livre. Psicólogos descobriram que  os seres humanos fazem associações livres de maneiras absurdamente previsíveis. 

Peça a cem pessoas na rua para fazer uma associação livre a partir da palavra "azul" e quarenta delas dirão "céu". Outros quarenta mencionarão "cor". As associações mais criativas só aparecerão quando você chegar aos 20% finais das respostas onde, por exemplo, as palavras "jeans" e "lago" serão mencionadas.

A associação nos ajuda a viajar pelos possíveis adjacentes que conectam uma coisa a outra. Pare para pensar. Sempre que você faz uma associação de alguma palavra, você abre novas oportunidades de associação. Por exemplo: vamos começar com a palavra cabeça. 

Cabeça > chifre > boi > vaca > queijo > presunto > sanduíche > pizza > Itália > França. 

Uma coisa lembra outra que lembra outras coisas que não seriam lembradas na primeira palavra. Entendeu? Se alguém me perguntasse uma associação livre com a palavra cabeça eu nunca diria França, mas o processo foi evoluindo até encontrarmos esta possibilidade. Ou seja, com a associação podemos encontrar novas peças do quebra-cabeça para combinar e ter novas ideias. Existem coisas que estão em uma intersecção tão pequena que somente a associação livre pode revelá-las. 

Um cara chamado Jim queria reduzir as concussões no futebol americano para evitar as lesões. Buscando uma solução para este problema ele começou a fazer associações livres do termo com a ajuda da internet: reduzir traumas, amortecer impactos, amenizar golpes, diminuir energia, opor energia, repelir energia, reduzir momentum e outros. Jim notou que no Google a busca por repelir energia tinha relativamente poucas ocorrências e pensou que uma possível solução poderia ter passado despercebida. 

Uma forma de repelir energia é por meio de ímãs, e isso sugere uma abordagem possível: magnetizar os capacetes 
com a mesma polaridade para que dois capacetes se repelissem quando se aproximassem. Com a associação livre, Jim chegou ao seguinte resultado: quando estavam prestes a colidir os capacetes desaceleravam e devido à sua forma circular, tendiam a defletir um do outro, como duas bolas de bilhar magnéticas, em vez de colidirem frontalmente. Com isso, reduziram significativamente a força durante a colisão dos capacetes. 

O processo de associação nos faz enxergar outras perspectivas do problema e das possíveis soluções, ficando ainda mais poderoso se utilizado com o processo de combinação. Abra um banco de imagens, veja as associações que estão voando ao redor de cada figura e comece a brincar fazendo as conexões forçadas para resolver o seu problema. Ah, a associação fica ainda mais criativa depois das primeiras respostas óbvias. Pense devagar e você vai chegar mais longe. Quer ver?

Meu processo criativo na prática

Imagine que eu tenha que fazer associações livres com a palavra azul. 

Vamos lá. Mar, céu, facebook, cor, twitter, grêmio, chelsea, smurfs, tim, avatar, mística do x-men, placa de rua, jeans, caneta bic, shenon, piscina, viagra, caixa dágua, chama de fogo de fogão

Vejam que as primeiras respostas são mais óbvias e só no final a brincadeira começa a ficar mais criativa. 
Será que eu consigo inovar os televisores com esse raciocínio? 

Tela, televisor, controle remoto, ligar a tv, desligar a tv, mudar de canal, trocar de canal, diminuir o volume, aumentar o volume, apertar o botão, baixar o som, colocar no mudo, escolher o canal etc... 

Opa! Trocar de canal? E se pudéssemos com um clique compartilhar o canal que você está assistindo no celular da sua irmã que está estudando no outro quarto? Colocar no mudo? E se toda vez que alguém clicasse no mudo aparecesse uma legenda na tela? Escolher o canal? E se além de escolher o canal pudéssemos escolher o que acontece dentro dos programas de tv através de uma interação que aparece na tela?

A associação livre traz mais liberdade para o nosso cérebro fazer novas conexões dentro de diferentes perspectivas. 
Este processo pega todas as coisas que estão na fronteira do problema para utilizá-los como matéria prima da solução.

Luz, smartphone, Ação!

Pronto! Tudo o que você precisa fazer agora é colocar tudo isso em ação. Sempre que algo demandar uma solução criativa, utilize essas 5 ações e encare os desafios com coragem. A criatividade não é um bicho de 7 cabeças, nós é que fomos um pouco bloqueados. 

A partir de agora, sempre que você ver algo criativo tente imaginar quais ações foram feitas para chegar naquele resultado. E melhor que isso, use esses conceitos descobertos para replicá-los na soluções de outros problemas. Este talvez seja um dos principais insights que eu deixo aqui. Entenda os conceitos usados na criatividade e replique eles em outros contextos. 

Vou mostrar mais alguns exemplos para finalizar.

Finalizar Atualização...
Software Desatualizado
Quer ser nosso amigo?

Mandamos livros, conselhos e conteúdos criativos.
Te avisamos dos últimos lançamentos.

Lembre-se de confirmar o seu email e de acessar esse link: somos amigos
Oops! Something went wrong while submitting the form

Seus dados estão seguros. Bons amigos sabem guardar segredo.

FECHAR